Eu sou Luccas, garoto normal como qualquer um da minha idade de 14 anos, tinha minha
paquerinha Lívia, sou branco, tenho cabelos castanhos escuros uso ele no estilo playsson
e tenho um cuidado enorme com meus cabelos, e olhos castanhos escuros também, sou
alegre extrovertido e me enturmo facilmente, amo jogar jogos online, ficar fuçando Orkut e
no MSN com meus amigos, sempre uso uma pulseira azul com detalhe no pulso direito,

tenho um nariz meio grandinho, mas nada exagerado acho que combina perfeitamente com 
meu rosto minha boca é um pouco grandinha também mas as meninas dizem que é linda 
assim como meus dentes que são perfeitos.
Estava eu sentado no meu PC jogando PW (Perfect World), enquanto isso nem me tocava 
do que se passava do meu lado, era manhã de quinta-feira, estava de férias ainda, praticamente 
na metade das férias de verão, tudo começou a mudar nesse dia, meu irmão como de costume 
entrou no meu quarto para me dar bom dia com um beijo no rosto, como de praxe só que hoje, 
ele não estava sozinho estava com Wesley seu amigo de infância.
Jean meu irmão tem 18 anos, tem um corpo legal, começou a fazer academia a mais ou menos 1 
ano, tem pele bronzeada de tanto ir ao clube, cabelos lisos usava ele levantado na frente, olhos castanhos 
claros, sua boca era proporcional ao seu rosto dando um charme extra a sua aparência, seu nariz 
também era proporcional ao seu rosto, terminou o ensino médio ano passado e começaria a faculdade 
o mês que vem, ele banca o tipo irmão protetor, se me vê triste ou chorando ele vem na hora saber o que 
se passa e faz de tudo pra resolver, namora com Bianca.
 Wesley é o melhor amigo do meu irmão, os dois faziam quase tudo juntos academia, 
jogam futebol e vão pra escola, ele é loiro bem magro, corpo meio definido, já aparentava 
bem de leve alguns gominhos na barriga, pele bem branca, com 3 tatuagens de nomes no 
lado esquerdo do corpo, onde até hoje se viram apenas 2 iniciais um “A” e um “J”, seu rosto 
era lindo, seu nariz é fino, e uma boca meio pequena com um pircing no lado direito do lábio, 
e um brinco que imita um alargador na orelha esquerda, o que deixava as meninas loucas por ele.
[Jean] Bom dia meu irmãozinho mais fofo!
[Luccas] Bom dia! (disse todo alegre me virando para trás)
[Jean] O que meu irmãozinho está fazendo, já jogando?
[Luccas] Sim, aproveitando pra jogar enquanto a Lívia não vem me chamar pra sair.
[Jean] Falando em sair o Wesley trouxe o irmão dele que tem sua idade pra conhecer você.
[Luccas] Legal fala pra ele entrar então.
[Jean] Ele está no meu quarto com o Wes, vou chama-lo.
Então Jean foi para seu quarto, demorou para voltar então voltei jogar meu jogo, enquanto jogava 
sinto uma mão nas minhas costas, com um toque meio delicado, viro-me, me deparo com um 
garoto bem magrinho, branquinho, pela sua camisa dava pra perceber que ele tinha um corpo legal 
bem cuidado, tinha um cabelo castanho puxando para o loiro, um olho castanho bem escuro, braços 
finos, um rosto meio fino, com um nariz bem desenhado para aquele rostinho, uma boquinha linda 
(é confesso ele é lindo sim) um pouquinho de nada carnuda, ainda não sabia, mas ele é gay, o que 
me espantou de inicio, pois um garoto daquele tinha a garota que quisesse aos seus pés.
 [Garoto] Oi, você que é o Luccas? – disse com um pouco de vergonha –
[Luccas] Sim sou eu, você é o irmão do Wes? – disse dando um sorriso – 
[Garoto] Sou eu sim. – disse me dando a mão –
[Luccas] Me chamo Luccas e você?
[Garoto] Eu me chamo Lucas também. – disse dando um sorriso –
[Luccas] Legal, um chara, só que meu nome tem dois “C”.
[Lucas] lol que massa, vejo que você também joga PW.
[Luccas] Você joga também?
[Lucas] Sim, eu e meu irmão jogamos a um bom tempo já.
[Luccas] Joga só PW ou joga algo mais?
[Lucas] Jogo sim Grand Chase e Ragnarok.
[Luccas] Eu jogo Ragnarok também. - nisso Renato entra – 
Renato tem 13 anos, é “Popular”, ele mora com sua mãe, filho único, pele bem branquinha, 
corpo começava a se definir, só pensa em futebol, na escola conversa com praticamente todo 
mundo, cabelos bem liso e loiro, de olhos verdes bem marcantes seu rosto parece um desenho 
de tão perfeito, nariz, olhos e bocas tudo bem colocadinho, o que deixava ele muito fofo, ele é 
daquele zoador, ele também é meu melhor amigo. 
[Renato] A e leke, bora jogar aquele fut?
[Luccas] Topa jogar com a gente lá no campinho Lucas? Ah, esse é o Renato, meu 
amigo há muito tempo. Esse é o Lucas. – disse falando para o Renato – 
[Lucas] Vamos sim.
 Então saímos, passamos no quarto do meu irmão para falar com Wes que o irmão dele iria 
estar no campo com a gente, chegamos lá toda a turma praticamente estava lá, chegamos 
lá alguns deles já conheciam o Lucas, outros não, reparei também que alguns olhavam o 
Lucas diferente, mas nem dei muita importância na hora, então formamos nossos times, o 
nosso era considerado o melhor entre os dois, mas o Lucas levou o outro time nas costas, 
só ele fez 6 dos 8 gols do time dele, e acabou empatado em 8 a 8, todos ficaram de cara no 
final, pois ninguém sabia que o Lucas jogava tão bem daquele jeito, até o Renato que era o 
melhor entre nós ficou de boca aberta.
O campo onde a gente joga é num clube que tem na esquina depois da minha casa, tem a quadra 
e o campo de grama, na maioria das vezes jogávamos no campo de grama, ele é cercado por 
árvores de pequeno porte, mas também havia 2 grandes árvores, onde costumamos descansar 
depois das partidas, já a quadra era coberta, tinha uma enorme arquibancada para quando realizam 
torneios no clube, coisa que aconteciam 3 vezes ao ano, e uma dessas competições era uma que 
meu grupo disputava já a 4 anos, desses 4 anos a gente tinha conquistado 3, e com o provável reforço 
de Lucas o 4 título era quase garantido.
[Renato] Onde tu aprendeu jogar cara!
[Lucas] Jogo as vezes no campinho lá perto de casa.
 [Renato] Você tem que entrar pro nosso time cara, tu joga pra porra!
[Lucas] Só jogo pra zoar nem sou tão bom assim não.
[Renato] Imagine se jogasse, quero nem saber, tu vai entrar pro nosso time sim! 
Nem que eu e o Luccas temos que te buscar na sua casa, até você aceitar.
[Luccas] É Lucas vai de boa tu joga pra caramba aceita a e. – foi eu falar e ele 
mudar de ideia e aceitar na hora –
[Lucas] Beleza então eu topo.
Quando ele disse Renato olhou pra mim com uma cara de quem quis dizer “Por que ele 
não aceitou quando eu pedi e insisti pra ele aceitar, e você falou uma vez ele praticamente 
mudou de uma hora para outra”. Confesso que eu também achei estranho, mas deixei quieto.
[Wesley] Lucas vamos embora! – gritou o seu irmão –
[Lucas] Bom galera vou indo nessa, até mais.
[Luccas] Ei Lucas vem em casa amanha para jogarmos algo.
[Lucas] Se meu irmão vir eu venho com ele beleza.
Então ele foi em direção ao irmão dele que mora umas quatro ruas para baixo da minha 
casa, eu e os outros garotos ficamos mais um pouco no campo tocando bola e jogando 
conversa fora, até que resolvemos ir para nossas casas, Renato e eu ainda ficamos um 
pouco na frente de minha casa jogando conversa fora.
 [Renato] Luccas você não achou estranho quando eu insisti para ele entrar 
no time e ele ficou recusando, bastou você chamar e ele mudou de ideia na hora.
[Luccas] Também achei estranho, mas pode ser por que ele não conhecia 
ninguém lá e como me conhecia topou por que eu o chamei.
[Renato] É pode ser também.
Nisso o Jean sai para a rua e me chama dizendo que minha mãe me mandara entrar 
para tomar banho pois iriamos jantar fora, então despedi do Renato e fui para dentro de 
casa tomar meu banho, que geralmente durava uns quarenta minutos.
Renata 38 anos, minha mãe e do Jean (obvio né), empresária dona de uma agência de 
modelos famosa no nosso estado, sempre bem vestida, alegre, nunca de mau humor, vive 
em meio a festas e concursos, quando não acha o modelo certo pros trabalhos ela caba 
empurrado eu e meu irmão para fazer as fotos, seu rosto é um dos mais lindos que já vi, 
seu andar calmo passos curtos, divorciada a 4 anos, depois desse fato nunca mais arrumou 
namorado nem um agora só se dedica a sua agência.
[Renata] Sai logo desse banho Luccas, ou vamos nos atrasar menino! – dizia minha 
mãe enquanto batia na porta do banheiro –
[Luccas] Já estou saindo mãe só mais um pouquinho.
Terminei meu banho e fui para meu quarto correndo me trocar, nisso quando eu ainda colocava 
minha cueca Jean entra no quarto.
[Luccas] Ei Jean não bate na porta mais não! – disse assustado –
 [Jean] A maninho pensei que entre a gente não tinha dessa foi mal. 
– já disse saindo do quarto –
[Luccas] Espera agora pode ficar, o que foi que meu irmão precisa?
[Jean] Agradecer meu maninho!
[Luccas] Por que?
[Jean Por ter tratado o Lucas bem maninho.
[Luccas] Não estou entendendo nada Jean.
[Jean] Promete guardar segredo sobre o que eu vou te contar agora, mas 
é serio não pode contar pra ninguém nem para o Renato entendeu?
[Luccas] Nossa o que tem de tão grave irmão?
[Jean] O Lucas ele é gay, ele está passando por muita coisa, por isso pedi 
pro Wes trazer ele para cá, por que sei que você mesmo assim do seu jeitinho machão 
não iria desfazer dele que nem os outros garotos fizeram com ele quando descobriram, 
ele está entrando em uma enorme depressão, você deve ter reparado em algum momento 
que ele pode ter ficado acanhado com alguma conversa perto dos garotos, por isso o Wes 
quando viu que você se deu bem com ele pediu pra eu te contar, e pedir pra você ajudar o 
irmão dele enquanto ainda tem tempo para ele se enturmar e não acabar entrando de vez 
nessa depressão, entendeu.
 [Luccas] Nossa sério, que barra, mas pode deixar comigo vou fazer 
isso sim, mas por que achei ele muito legal, amanhã alias ele vem aqui em 
casa pra jogarmos.
Nisso meu irmão pulou em cima de mim me agradecendo, pois o Wes estava 
preocupado, já não sabia mais o que fazer para ajudar o irmão a se reanimar, 
nisso ele falou.
[Jean] Tive uma ideia, espera um pouco.
Nisso ele saiu, e retornou uns cinco minutos depois.
[Jean] Luccas você já está pronto?
[Luccas] Sim, já por que?
[Jean] Então vem comigo, vamos ali na casa do Wes.
[Luccas] Ok vamos.
Então fomos para a casa do Lucas, no caminho meu irmão foi me falando da sua 
ideia de levar o Lucas com a gente para jantar, pra eu poder ir me enturmando mais 
com ele. Achei legal, pois queria ver o que iria dar, na época achei que não daria quase 
em nada, mas não foi isso o que aconteceu, quando percebi já estava na frente da casa 
do Lucas, foi aí que eu vim reparar que nunca tinha entrado na sua casa, chegamos e 
chamamos quem nos atendeu foi sua mãe Judith.
Judith tem 39 anos, mãe de Wesley e de Lucas, tem cabelos castanho longo e liso, empresária, 
tem um olha de ser uma pessoa alegre, e ao mesmo tempo abatido.
 [Judith] Olá Jean.
[Jean] Oi dona Judith, o Lucas está? Ah, esse é meu irmão mais novo Luccas.
[Judith] Ah! Então esse é o famoso Luccas que você tanto fala. – disse dando 
um sorriso – Vem vamos entrar, bem, o Lucas está no quarto dele, podem subir lá.
Bem a casa era uma casa enorme muito grande mesmo, a sala era muito ampla com 
uma decoração meio rustica que deixava o local bem elegante, com 4 sofás bem distribuídos 
no local junto com 4 poltronas reclináveis alguns quadros distribuídos entre as paredes, e 
uma escada que leva ao segundo andar da casa, subindo a escada se depara com 6 portas, 
5 quartos um banheiro, a terceira porta indo da direção da escada ao fim do corredor era o 
quarto do Lucas. Bati a porta do seu quarto.
[Lucas] Pode entrar.
[Luccas] Sou eu Lucas. – assim que ele me viu ali, ele abriu um lindo sorriso no rosto –
[Lucas] Oii Luccas!
[Luccas] Você tem algum compromisso agora a noite?
[Lucas] Não por quê?
[Luccas] Então se arrume pois agora você tem!
[Lucas] Como assim agora eu tenho?
 [Luccas] É que minha mãe tem um dos seus jantares chatos em um restaurante
lá no shopping e quero que você vá comigo, e não, não é uma resposta aceitável.
[Lucas] Ah, mais ... – o interrompi –
[Luccas] Ah, mais nada Lucas, se arruma você vai comigo sim!
Então ele foi ao guarda roupas pegar o que vestir, ele tirou a roupa na minha frente não 
pude deixar de reparar, que o que eu pensava era ser, sua barriga mostrava os gominhos 
perfeitos, ele me viu olhando e falou.
[Lucas] Pelo menos o futebol me server pra algo. – rimos –
[Luccas] A minha tem mais ainda não é tão visível quanto aos seus. – disse mostrando 
minha barriga para ele –
[Lucas] Mais você tem um pouco de massa corporal, é bonito seu corpo. – disse ficando vermelho –
[Luccas] Uhum. – disse sorrindo –
[Lucas] Terminei.
Então fomos chamar o Jean no quarto do Wes os dos estavam conversando quando chegamos, 
mas logo terminaram e voltamos para casa, quando chegamos lá tinha um bilhete da minha mãe 
dizendo que ela já tinha ido e era pra irmos com o outro carro, Jean já tinha habilitação, então saímos 
e fomos em direção ao shopping, no caminho fomos conversando sobre jogos e fui perguntando 
coisas sobre ele e ele sobre mim, quando chegamos ao local, mal sabíamos mais iria rolar um 
barraquinho básico e por minha culpa minha mãe perdeu um trabalho até que bom, mas nem faria 
falta para ela.
 [Jean] Vichi, não acho vaga para estacionar aqui dentro, desçam e Luccas encontre 
a mãe e diga que fui guardar no outro estacionamento por que esse não havia vaga.
[Luccas] Está bem você sabe em qual restaurante ela ia estar?
[Jean] Naquele de sempre, sabe onde ela sempre marca as reuniões.
[Luccas] Ok. Vem Lucas.
Fomos andando até a porta do restaurante quando ele olhou, pegou meu braço e apertou bem forte.
[Luccas] O que foi Lucas?
[Lucas] Por favor Luccas se for naquela mesa ali me leva embora por favor.
[Luccas] Mas por que?
[Lucas] Vamos para outro lugar que eu te conto.
Nisso, ouço a voz da minha mãe me chamando.
[Renata] Luccas! Estamos aqui filho.
Não tive como fugir dali, tivemos que ir até a mesa onde estava minha mãe, seu futuro sócio a 
esposa dele e seus 2 filhos, e um desses era ex do Lucas. E o senhor já foi questionando que 
não queria o Lucas ali e começou ofende-lo.
[Luccas] Olha aqui seu velho careca olha bem o que você fala do meu amigo seu velho 
seboso!
[Renata] ESTÁ DOIDO LUCAS PEÇA DESCULPAS AGORA AO SR. CARLOS.
 [Luccas] Eu pedir desculpas pra esse velho molunguento, fica esperando 
ninguém fala mau do meu amigo e fica por isso mesmo. – disse indo em direção a 
cadeira dele e o derrubei no chão – A próxima vez que falar mau de um amigo meu 
vai ser pior ok!
Peguei o Lucas pela mão e sai puxando ele dali e fomos até a entrada esperar por 
meu irmão, nisso chega minha mãe.
[Renata] O que foi aquilo Luccas!
[Luccas] Um amigo protegendo o outro, e faço de novo se for preciso.
Minha mãe não disse mais nada apenas pegou um dinheiro na sua bolsa me deu e 
disse pra irmos comer algum lanche pelo shopping.
[Lucas] Desculpa por tudo isso.
[Luccas] Por que desculpa Lucas você não fez nada.
[Lucas ] Estraguei sua noite Luccas por isso.
[Luccas] Porra! Entende uma coisa Lucas você é meu A – M – I – G – O nunca 
que eu ia deixar qualquer pessoa que fosse tratar você igual aquele velho caquético fez com 
você hoje põe isso na sua cabeça!
Nisso ele estava com os olhos cheios de lágrimas e me abraçou.
[Lucas] Então obrigado por seu meu AMIGO! 
Nisso Jean chega e vê a cena.
[Jean] O que aconteceu aqui, por que o Luquinha está chorando.
 Contei a ele tudo que aconteceu, e disse o que fiz, ele foi abraçou Lucas depois me 
abraçou e me deu um beijo no rosto, ficamos ali mais um tempinho até a fome bater 
pra nós 3 irmos comer algo.
[Jean] Bem como o Luquinha é nosso convidado ele escolhe o que vamos 
comer!
[Luccas] Isso você escolhe Lucas.
[Lucas] Pode ser batata recheada?
================================================================================================================
                                                                                                          FIM
 


Comments

Beatriz Bolton
06/03/2013 4:29am

Pra três garotos vocês escrevem muito bem. ^-^
Meus Parabéns

Reply



Leave a Reply