[Luccas] BOA IDEIA! – exclamei –
[Jean] Realmente, adorei a ideia também.
Então entramos novamente no shopping, resolvemos andar mais um pouco antes de comer, ficamos olhando algumas vitrines de jogos de computador pra ver se achávamos algo legal, mas foi perda de tempo.
[Jean] Vamos comer, estou com fome?
[Luccas] Vamos eu também estou.
[Luc] Vamos sim.
Então fomos em direção onde iriamos comer, estava completamente lotado, chegamos pegamos nossas senhas, havia quase trinta pessoas em nossa frente, ficamos então sentados e conversando sobre o que havia ocorrido mais cedo, só que agora a gente ria da situação.
[Luccas] Não querendo ser intrometido nas suas coisas, mas o que você ia me contar quando íamos saindo e minha mãe nos viu?
[Luc] Posso contar? – disse olhando pro Jean que apenas consentiu com a cabeça –
[Jean] Ele sabe sobre você eu contei.
Lucas ficou totalmente vermelho, me encarou por alguns segundo, eu o abracei e falei para ele.
[Luccas] Não se preocupe, é nosso segredo, estou junto com você para o que meu amiguinho precisar!
[Jean] Está vendo Luquinha, quando eu disse que meu irmão era diferente, por isso eu amo meu irmãozinho fofo alias, meus dois irmãozinhos né. – disse ele dando um abraço no Lucas que sorriu –
[Luc] A meses que não me sinto tão bem como hoje. – disse ficando vermelho –
[Luccas] A não se preocupa não por que se depender de mim, vai ser cada dia melhor agora.
[Luc] Obrigado mais uma vez Luccas. – ele ficou por um instante quieto e começou falar – Você viu aquele menino mais novo que estava com aquele homem né, então, ele era meu “namorado”, mas um dia aquele homem que é avó dele nos viu quando estávamos nos beijando, a partir daí foi que a guerra começou, ele ameaçava a mim, até que minha mãe e meu irmão descobriram ai minha mãe pegou meu celular e pediu todas as gravações do celular para a operadora, e depois de ver as ameaças agora ela está processando ele de todas as formas que pode processa-lo, e o primeiro julgamento já aconteceu e ganhamos a ação, e ele teve que pagar uma indenização muito boa pra mim, e ainda corre mais dois processos contra ele e praticamente tenho causa ganha nas duas, pois sou menor de idade e ele continua me ameaçando às vezes.
[Luccas] Posso ser um pouco mais intrometido na sua vida?
[Luc] Pode perguntar o que você quiser saber Lucas, não vou esconder nada de você.
[Luccas] Por que você estava ficando depressivo?
[Luc] Esse é um assunto complicado, mas foi por que quando um garoto da minha sala descobriu minha opção sexual ele saiu espalhando pra todos e aos poucos todos que se diziam meus amigos foram se afastando de mim, me ignoravam, me travam mal, e quando tinha algum trabalho em grupo eu era excluído totalmente, nunca tinha um grupo, eu havia sido totalmente excluído, isso foi me deixando mal, perdi a vontade de sair na rua, ir para a escola, e não falava com ninguém, até que hoje cedo seu irmão entrou no meu quarto me fez trocar de roupe e me levou para sua casa para conhecer você, mas confesso que resisti bastante antes de aceitar, não queria ser maltratado novamente, tudo que eu tinha passado pra mim já tinha sido o limite, já estava pensando até em suicídio.
[Luccas] Como assim suicídio tá doido menino!
[Luc] Luccas você não imagina por cada coisa que eu passei, os garotos me viam na rua já começavam, olha a bichinha, lá vai o veadinho, sem falar nas coisas piores que eu tive que ouvir, eu não suportava mais, sinceramente eu chorava o tempo todo, momento raros era quando eu estava jogando algo que era quando eu me esquecia dos problemas e tinha um pouco de alegria, mas que logo passava.
[Luccas] Tenho uma ideia em mente, por que não se muda para minha escola, garanto que meus amigos não vão te maltratar e garanto que logo eles se acostumam e fica tudo de boas.
[Luc] Teria que convencer minha mãe para eu poder mudar de escola.
[Luccas] Ela vai querer um filho alegre de volta ou que você fique se remoendo em más lembranças dentro do seu quarto?
[Luc] Pensando assim acho que consigo convence-la a isso.
Nisso Jean nos interfere e avisa que erámos os próximos, então nos levantamos e já fomos para perto dos balcões para fazer nossos pedidos, agora teríamos que esperar mais algum tempo até nossos pedidos ficarem prontos.
[Luccas] Hoje você vai dormir lá em casa ok.
[Luc] Tudo bem, se minha mãe deixar.
[Jean] Isso não é problema.
Então ele pegou o celular e foi ligar para alguém.

 
Oi Tia sou eu o Jê ... Sabe queria saber se o Lucas pode dormir em casa hoje? ... Não, não, não há problema algum... Sim claro... Pode deixar aviso sim... Ok então Tia beijos boa noite. – ele olhou pro Lucas que fazia uma cara de “Eu não acredito que você convenceu minha mãe” – Eu disse que não era problema.
Lucas deu um pulo no meu irmão e o abraçou agradecendo, meu irmão fez igual ele faz comigo abraçou o Lucas e sem seguida deu-lhe um beijo no rosto, o coitado ficou todo corado na mesma hora.
[Jean] Olha Luccas ele ficou vermelhinho.
[Luccas] Olha heim assim eu fico com ciúmes. – disse rindo e os dois também riram –
[Jean] Ah! Não seja por isso. – eu fingi q iria correr, mas ele me segurou e me beijou no rosto – Meu irmãozinho também ganha beijinho. – caímos na gargalhada foi muito hilário o tom de voz que o Jean usou –
[Luccas] Jean a gente podia levar o Lucas naquele nosso lugarzinho depois de comermos.
[Jean] Uhum, eu pensava nisso também, acho que ele vai adorar, a nossos pedidos estão prontos. – disse ele apontado o painel com nossas senhas – 

  Depois de pegarmos nossos pedidos no balcão fomos procurar algum lugar para sentar, o que foi uma missão super difícil, fomos achar uma mesa quase do outro lado do salão, onde sentamos e comemos, enquanto conversávamos assuntos sem importância, ou alguém contava uma piada, foi um momento total de distração que fez muito bem ao Lucas, ele era todo riso, não tirava o sorriso do rosto a nem um momento, até ele arriscou algumas piadas que faziam a gente cair na gargalhada, no meio da nossa aparece o Brenno.
Brenno tem 14 anos, estuda comigo desde a quinta série ele é branco de cabelo castanho puxado um pouquinho para o loiro, tem olhos castanhos escuros, o corpo dele tem q uma definição inicial, mas precisa de um pouco mais pra aparecer seus gominhos na barriga, mas mesmo assim tem sua beleza, tem um rosto normal, com nariz e boca em minha opinião que se encaixa perfeito com seu rosto
[Brenno] E ai Luccas!
[Luccas] A e leke doido, o que está aprontado por aqui?
[Brenno] Só dando uns role com uns amigos. – disse apontado o grupinho numa outra mesa não muito distante da gente –
[Luccas] Ah! Esse é o meu irmão Jean e meu amigo Lucas.
[Brenno] E ai. – disse dando um daqueles socos com a mão fechada na mão do Jean e do Lucas – Você é bem famoso na nossa sala em cara, seu irmão não cansa de dizer que você é o melhor irmão do mundo. – disse olhando para o Jean –  Nem sou tudo isso que ele fala não, mas eu tenho q cuidar do meu irmãozinho né. Não vou deixar qualquer um fazer algo com ele e deixar quieto. – disse rindo –
[Brenno] Bem vou nessa que já, já eles terminam e me berram.
[Nós 3] Até mais.
Então já estávamos terminando de comer nossas batatas, Jean tinha terminado e falou.
[Jean] Acabem rapidinho ai, enquanto isso vou passar ali na mãe e avisar que já vamos, e vou pegar o carro na rua de traz no estacionamento, e pego vocês ali na saída principal em cinco minutos ok.
Consentimos com a cabeça e ele se foi, nisso eu e o Lucas estávamos no fim de nosso jantar, passamos numa sorveteria pegamos milk shake, e também pegamos um para o Jean e fomos para a saída do shopping esperar por ele que demorou mais uns três minutos.
[Jean] Vamos! Já avisei a mãe que iriamos naquele lugar.
[Luc] Posso ser curioso e perguntar que lugar é esse. – disse todo empolgado –
[Jean] Nós vamos a... – eu o interrompi –
[Luccas] Surpresa pro meu mais novo amigo! – disse dando um sorriso para ele –
[Luc] Nossa surpresa pra mim obaaaaa! – disse todo animado –
Então fomos seguindo em direção a uma estrada que levava para fora da cidade, teríamos pela frente uns vinte minutos de estrada, meu irmão ia dirigindo com velocidade mais reduzida, pois podíamos atropelar algum animal que tentasse atravessar a pista, e como estava noite não tinha como ver se vinha algo de dentro da mata, quando estávamos chegando nos deparamos com uma paca atravessando a pista, meu irmão reduziu mais ainda esperou o animal atravessar .
[Luccas] É ali. – Disse apontando –
[Luc] Naquela casa ali depois daqueles ipês?
[Luccas] Essa mesmo.
[Jean] Luccas pega os controles, e cuidado pra não errar de controle, assim q tiver bem perto põe para abrir.
[Luccas] Pode deixar, a gente vai só lá em baixo ou vai na casa também?
[Jean] Eu não sei como a casa está, vamos só lá em baixo, ai peço pra mãe pedir pra arrumarem a casa e a gente vem pra cá no fim de semana ok.
[Luccas] Pode ser então, você vem né Lucas? – o indaguei olhando-o –
[Luc] Venho sim. – ele respondeu sem me olhar tentando ver o lugar –
[Jean] Reparou nas grades que rodeia todo o lugar e o cuidado que tivemos para entrar, é que aqui Lucas tem uns cachorros do mato, então minha mãe teve esse cuidado e fez essa parte aqui a um ano, por que eu e o Luccas pedimos para ela pois quando vínhamos dormir aqui a noite, não podíamos sair pelo risco de encontrar algum animal selvagem dentro da propriedade, mas agora é seguro pelo menos dentro deste cercado.
Bem estávamos na fazenda de nossa mãe, era muito grande cheio de arvores, muitas frutíferas, como goiaba, laranjais, abacateiros, cajueiros, mangueiras, uma pequena horta que eu havia feito quando era mais novo, e minha mãe resolveu continuar cuidando, já que ela vinha sempre para cá, tinha uma casa não tão grande quanto a nossa casa da cidade, havia a sala, e as vezes ela usava para algum ensaio fotográfico, e quando isso ocorria esse paraíso se tornava um inferno de tanta gente que vem para cá Cozinha, 2 banheiros e 4 quartos, sendo um meu, um do Jean e da minha mãe, e um para hospedar algum hospede, a gente sempre vem para cá principalmente nas férias.
[Luccas] Chegamos! – disse pondo a mão para fora do carro e apertando o interruptor para acender as luzes – Lindo né Lucas?
[Luc] Estou sem palavras para descrever o que estou sentindo, é muito lindo mesmo. – via o brilho nos seus olhos, era algo assim indescritível como se via a felicidade nos seus olhos –

[Jean] Foto! Faço questão que o Wes veja! – sorrindo – Um sorriso no rosto do irmãozinho do meu amigão.
[Luc] Tudo graças a vocês dois.
[Jean] Olha só fala muito lindo né, minha mãe planejou tudo nos mínimos detalhes, ela usa esse lugar pra relaxar e nós também, a gente vem pra cá sempre, mais agora que tirei carta de motorista sempre estamos aqui né fofo. – disse fazendo um afago em meus cabelos –
[Luc] Vocês sempre se dão bem assim, sempre?
[Luccas] Sempre, desde que eu me entenda por gente o Jean sempre me tratou com o maior carinho do mundo, ele me protege de tudo, ainda ganho um beijinho no rosto quando acordo e quando vou dormir, mesmo já estando ficando grandinho, mas eu gosto, me sinto seguro, sabe, me passa uma tranquilidade que sei que posso contar com ele sempre.
[Jean] Verdade, meu irmãozinho fofo, protejo ele sim e você também se precisar Lucas, não deixo nada atingir ou magoar meu pequenino, tenho até uma novidade pro meu irmãozinho, mas ainda é surpresa.
[Luc] Acho tão legal o jeito que vocês se tratam, sabe algo diferente entre irmãos, os dois tem o mesmo carinho pelo outro, o Wesley ele me trata muito bem, mas não é como vocês dois, ele é meio seção, não tem uma ligação de confiança entre a gente, não posso dizer que tenho essa segurança que o Luccas tem.
[Luccas] Agora você tem, eu e meu irmão! E ai de quem mexer com meu amigo, vai se ver com a gente, não é Jê!
[Jean] Com certeza mexeu com você mexeu com a gente!
Voltamos admirar aquele laguinho feito a pedido de minha mãe, havia alguns peixes, em volta uma graminha pequena e em cima do laguinho havia uma proteção pra se algum animal conseguisse chegar ali não comesse os peixes, também tem ao lado 6 daquelas arvores pequenas de japonês, que não me recordo o nome, algumas flores também enfeitavam o local e pra deixar o local perfeito haviam 4 damas da noite, que deixava o ar com um delicioso cheiro meio adocicado.
[Jean] Nossa gente quase onze da noite! Vamos embora que já a mãe liga toda preocupada atrás da gente.
[Luccas] Está com sono Lucas? – vi que ele estava se segurando –
[Luc] Estou não.
[Luccas] Para de mentir ruum! Encosta aqui e dorme quando chegarmos eu te acordo.
[Luc] Não precisa não, eu aguento até chegarmos.
[Jean] Quando chegar Luccas você pega aquele colchão da bi cama q vou levar a outra parte da cama lá pro seu quarto.
[Luccas] Não precisa, minha cama e grande de casal, se ele não se importar dorme comigo lá ué, qual problemas? Importa-se Lucas?
[Luc] Se tiver tudo bem pra você pode ser então.
[Jean] Então pronto resolvido o problema.
Voltamos conversando só na parte da estrada demoramos quase quarenta minutos, Jean teve que ir dirigindo muito mais de vagar do que na vinda tinha muito animal na pista, assim que adentramos na cidade meu celular toca.
[Luccas] Oi mãe... Não, está tudo bem... A gente acabou de entrar na cidade... Sim estamos indo pra casa... Ok pode deixar... Beijos boa noite... Também te amo minha mãe linda!... Tchau. – desliguei – Jean a mãe avisou que vai dormir no Hotel perto ao aeroporto, pois amanhã ela tem um voo vem cedo para São Paulo e ela disse que tem medo de perder o voo por causa do engarrafamento, que volta amanhã mesmo.
[Jean] É mesmo ela tinha comentado, eu nem me lembrava mais que ela vai viajar amanhã.
Assim que chegamos em casa entramos na garagem e fomos para cozinha tomar algo, resolvemos fazer um suco de abacaxi, fizemos e tomamos e fomos para os quarto, eu e o Lucas para o meu e o Jean para o dele.
[Luccas] quer tomar um banho antes de dormir Lucas?
[Luc] Quero sim.
[Luccas] Pode ir ali na porta do meio do guarda roupas, já te levo a toalha já vou no roupeiro pegar.
Fui até o corredor ao roupeiro peguei uma toalha e voltei ao quarto, fui à porta do banheiro e falei.
[Luccas] Lucas vai se trocar aqui no quarto ou ai no banheiro?
[Luc] Pode ser ai no quarto mesmo.
[Luccas] Estou entrando para por a toalha aí ok?
[Luc] Tudo bem pode entrar.
Entrei no banheiro estava lá ele todo fofo (detalhes do corpo dele darei mais para frente) está aqui disse olhando para ele.
[Luc] Obrigado!
[Luccas] vou separar uma roupa pra você, gosta de dormir com roupa ou pijama?
[Luc] Pra mim tanto faz Luccas
Então fui ao meu quarto separei um dos meus pijamas para ele, em seguida coloquei mais um edredom na minha cama para ele, que logo saiu enrolado na toalha, e tirou para se trocar, ele se trocou e disse que estava caindo de sono, eu disse que iria passar uma aguinha no corpo, mas não iria demorar, fui e tomei um banho rápido de uns cinco minutos, me enxuguei me troquei e fui deitar.
[Luc] Boa noite Luccas, e mais uma vez obrigado.
[Luccas] Boa noite fofo. – disse indo dar-lhe um beijo no seu rosto – até amanhã!
[Luc] Até.
E assim terminou o nosso primeiro dia tinha feito um grande amigo, mal sabia que essa amizade com Lucas me levaria a fazer coisas que nunca havia pensado na vida (pros mente poluída, não tem nada a ver com sexo (não agora)).
 


Comments




Leave a Reply